Editais Circulação e Registro - 2015


           
            Após algumas prévias reuniões ocorridas nos últimos meses em Natal, visando a articulação conjunta dos diferentes segmentos da música potiguar em favor da construção de uma política pública para a área, a Rede Potiguar de Música está convidando para esta quarta próxima (08 de Abril, 16h) na sede do RN Criativo uma reunião presencial dos interessados – músicos, compositores, arranjadores, cantores, instrumentistas, educadores etc – com a finalidade de definir uma plataforma apropriada que contemple a princípio 2 aspectos entendidos como essenciais para o momento: Circulação e Registro.

            Partindo da inexistência de um programa específico que dê conta dessas duas importantes frentes, a nível municipal e estadual (no âmbito das gestões públicas de cultura), a COMPOR - Cooperativa da Música Potiguar, a Associação Cultural do Sol e a ANDAR, representados respectivamente por Esso Alencar, Anderson Foca e Fernando Luiz, elencaram alguns pontos comuns que perpassam as diversas esferas que suas entidades representam, encabeçando a relação com a necessidade de uma política pública que em primeiro lugar invista nessas duas prioridades: Circulação e Registro.

            Para tanto estão sendo propostos alguns modelos já implementados em outros estados do país, atualmente sendo desenvolvidos, que servirão como base para a estruturação de propostas a serem apresentadas a Funcarte (Natal) e Fundação José Augusto (Rio Grande do Norte). O objetivo é construir em consonância com os pilares que embasam o atual SNC – Sistema Nacional de Cultura uma nova realidade para a música potiguar, feita a partir de demandas específicas, construídas em sintonia com os próprios envolvidos e levando em consideração a estruturação de um cenário cada vez mais profissional. Também se faz indispensável a adesão a estes novos mecanismos, que são ao mesmo tempo mais dinâmicos, efetivos e transparentes. Além da cobrança para que haja a adoção de chamadas públicas em todas as atividades relacionadas às programações musicais geridas pelas instituições gestoras de cultura do estado, faz-se sempre oportuno ainda a recomendação para a contratação de uma curadoria imparcial, mista, independente, e que sobretudo torne abertas suas decisões, justificando suas escolhas, em listagem classificatória que indique titulares e suplentes, e mais, não descartando a interposição de recursos no caso de haver algum candidato que se sinta prejudicado pelo resultado.

            Sendo isso, assim que os documentos forem formatados pelos respectivos departamentos e núcleos responsáveis, serão disponibilizados para consulta pública, e logo após a devida apreciação jurídica, trabalhados para entrarem em vigor o mais cedo possível, efetivando uma ação clara de apoio do poder executivo à linguagem.


Nenhum comentário:

Postar um comentário