♪♫ Músicos buscam associativismo para incrementar os negócios


Por Agência Sebrae de Notícias

Integrantes do coletivo Rede Potiguar de Música recebem consultoria e capacitações, que visam a criação da primeira cooperativa de música do Rio Grande do Norte


Para incentivar o empreendedorismo no setor artístico e de entretenimento, o Sebrae no Rio Grande do Norte, através do Projeto Setorial de Cultura, está oferecendo consultoria e capacitação para o coletivo Rede Potiguar de Música, que reúne profissionais da cadeia produtiva da música do Estado. O objetivo é consolidar o grupo com a primeira cooperativa musical do Rio Grande do Norte, estimulando as práticas empresariais e buscando facilitar o acesso ao mercado para profissionais do segmento, como músicos, produtores e jornalistas ligados à área.

De acordo com a gestora do Projeto Setorial de Cultura, Cátia Lopes, a formalização vai permitir que o grupo tenha mais possibilidades de acesso ao mercado e às leis de incentivo à cultura. “Com projetos focados para os mais de 50 artistas e produtores associados à uma cooperativa musical, espera-se que, com uma atuação empreendedora mais expressiva, se fortaleça a cadeia produtiva da música no Rio Grande do Norte”, avalia Cátia.

A analista do Sebrae-RN explica que a instituição participa dessa empreitada oferecendo consultoria e capacitação para os associados. Nas etapas de capacitação, os 22 participantes inscritos são apresentados à metodologia do Sebrae denominada Redes Associativas. Divido em quatro módulos, o curso oferece assessoramento e informações sobre as práticas associativas, planejamento empresarial e, por fim, no último módulo acontece a etapa de formalização do empreendimento.

O coletivo Rede Potiguar de Música encontra-se na etapa final desse processo. A última capacitação acontece entre os dias 18 e 20 deste mês, quando será realizada uma palestra com Makely Ka, representante da Cooperativa da Música de Minas - COMUM, que fará uma abordagem sobre o funcionamento das cooperativas de música no Brasil. Também serão fornecidas informações e realizados os trâmites finais no processo de legalização da cooperativa potiguar. Cátia Lopes informou que outros segmentos culturais já estão interessados no cooperativismo, como os de fotografia, teatro e circo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário